Santo do Dia 24 de Outubro – Santo Antônio Maria Claret

Santo do Dia 24 de Outubro - Santo Antonio Maria Claret

 

Santo Antônio Maria Claret

Santo Antônio Maria Claret nasceu na Catalunha, Espanha, em 1807, filho de um modesto tecelão. Inicialmente pensou em ingressar na Ordem Cartuxa, mas desistiu, aconselhado por um sacerdote que enxergou nele o perfil de um autêntico missionário. Aos 22 anos, entrou para o Seminário, aos 28 anos se ordenou sacerdote e foi, por um breve período, vigário de sua cidade natal. Em 1849, com mais cinco companheiros, deu início à realização de um velho sonho: a fundação de uma congregação que se dedicasse à pregação de missões e evangelização dos povos e que recebeu o nome de Congregação dos Missionários Filhos do Coração Imaculado de Maria, mais conhecida como Congregação dos Padres Claretianos. Antônio Maria Claret fundou também o Instituto das Irmãs de Ensino de Maria Imaculada. Em 1850 ele foi nomeado arcebispo de Cuba que estava sob o domínio espanhol e, nesse país adotou métodos originais de evangelização. Para falar aos analfabetos Claret usava a linguagem oral e a imagem de Nossa Senhora de quem era muito devoto. Para que seus escritos atingissem os lugares mais distantes, valorizou e utilizou largamente a imprensa. Para ajudar e chegar aos pequenos lavradores, criou uma escola agrária e ele mesmo se encarregava de escrever pequenos tratados de como cultivar a terra. Era um viajante incansável e um homem extremamente preocupado com a promoção humana e religiosa do povo a ele confiado. Por causa de seu trabalho e coragem apostólica sofreu cerca de 14 atentados. Após um deles, do qual saiu gravemente ferido, voltou para a Espanha, indo servir na Corte, como confessor da rainha. Não se adaptou contudo à nova função e preenchia o tempo, dando assistência às paróquias. Antônio Maria Claret escreveu cerca de 80 obras, organizou bibliotecas e cuidou com muito zelo da educação do povo. Mas como acontece com a maioria dos que se comprometem radicalmente com o Evangelho, ele foi perseguido e morreu no exílio, num mosteiro cisterciense na França, em 1870, aos 63 anos de idade. Em seu túmulo está escrito: “Amei a justiça e odiei a iniquidade, por isso morro no exílio”.

Hoje, tal como Santo Antônio Maria Claret, que ousou adotar métodos novos e originais no seu trabalho pastoral, somos também chamados a não ter medo de inovar e de usar nossa criatividade para anunciar Jesus Ressuscitado, pois cada missão é única e original, na medida em que para Deus, cada pessoa é única, irrepetível e original.

 

VIANNA, Zélia (2005). Santidade Ontem e Hoje. Salvador: Paróquia de São Pedro

 

>> Outro Santo do Dia