Santo do Dia 17 de Junho – Santo Adolfo de Osnabrueck

Santo do Dia 17 de Junho - Santo Adolfo de Osnabrueck

Santo Adolfo de Osnabrueck

Santo Adolfo nasceu na Alemanha, por volta do ano 1185. De família nobre e rica, foi educado pelos monges cistercienses do célebre mosteiro de Camp que exerceram sobre ele uma forte influência. Quis a princípio entrar na Ordem Cisterciense, mas o pai se opôs terminantemente, concordando, entretanto, que ele estudasse teologia e recebesse a ordenação sacerdotal. Dotado de grandes conhecimentos intelectuais e de um coração humaníssimo, embora se sentisse atraído por uma vida humilde e obscura, os dons que possuía o levaram a ter uma vida de destaque. Logo após a ordenação, foi nomeado cônego da Igreja Metropolitana de Colônia onde permaneceu durante algum tempo. Em 1216, foi chamado a assumir a Diocese de Osnabrueck. Mesmo elevado à condição de bispo, continuou no fundo a ser o sacerdote simples e humilde de antes, jamais se sentindo senhor do rebanho a ele confiado, mas o pai e o amigo de todos. Como bispo, realizou em sua diocese várias mudanças de ordem eclesiástico-jurídica, desenvolveu uma intensa atividade no campo do trabalho intelectual e administrativo, sem porém jamais descuidar-se das obras de caridade. As portas de sua casa estavam permanentemente abertas para todos, principalmente para os pobres e oprimidos que nunca deixaram de encontrar nele um advogado e um amigo. Boníssimo e cuidadoso para com os enfermos, visitava-os constantemente em seus miseráveis barracos para levar-lhes auxílio material e ajuda espiritual. Mesmo contra a vontade dos que o acompanhavam, porque temiam o contágio da doença, ele visitava os leprosos, animando-os e confortando-os. Santo Adolfo é representado como bispo, de pé, diante de um homem leproso, consolando-o, vendo nele o Cristo crucificado. Morreu no dia 11 de fevereiro de 1224. Seu corpo foi enterrado na catedral de Osnabrueck.

Nesse mundo em que estamos vivendo, marcado pela ambição e cobiça das coisas materiais, por um insaciável desejo de ter, Santo Adolfo, que teve coragem de se desfazer de seus títulos e bens para seguir mais radicalmente a Jesus, nos lembra que o Evangelho não prega a miséria nem condena a riqueza em si mesma. Pecado não é ter, mas reter. Pecado é deixar-se escravizar pelas riquezas. Se quisermos ser discípulos dignos de Jesus, e é isso que nos ensina Santo Adolfo, precisamos a amar o próximo como Jesus nos ama. Mas como só ama verdadeiramente quem é verdadeiramente livre, se quisermos amar como Jesus, precisamos aprender a repartir.

 

>> Outro Santo do Dia