Santo do Dia 15 de Julho – São Boaventura

Santo do Dia 15 Sao Boaventura

São Boaventura

São Boaventura nasceu no ano 1221, na Itália, com o nome de João de Fidanza. Discípulo fervoroso de São Francisco, entrou para a Ordem Franciscana aos 17 anos e, embora esta já se houvesse estabelecido em vários lugares da Europa, pelo trabalho que desenvolveu, é considerado seu segundo fundador. Aos 22 anos foi para Paris estudar Teologia. Em 1247 começou a ensinar, revelando-se um professor sábio e piedoso. Foi Ministro Geral dos Frades Menores, quando tinha apenas 32 anos de idade e compôs uma síntese teológica com 11 volumes, baseada nas idéias de Santo Agostinho e Platão. Em 1257 foi eleito Geral da Ordem, cargo que desempenhou até 1274. Como superior da Ordem foi austero e simples, suave e enérgico. Fez-se amar pela bondade, sem prejudicar a disciplina. Prudente e equilibrado, soube estimular os mais relaxados e abrandar os ânimos dos mais afoitos, sem causar divisões na Ordem. Amante dos livros, nunca deixou de estudar, mesmo em meio às inúmeras viagens que fazia, a pé ou a cavalo. Inimigo de todo rigor e excesso, foi um autêntico paladino da paz. Várias vezes recusou o convite para ser cardeal, mas como prêmio pelo trabalho que fez, promovendo a unidade da Igreja e harmonizando entre si os cardeais reunidos no Conclave que elegeu Gregório X, o Papa nomeou-o cardeal. Contam que estava lavando os pratos no convento, quando chegou a delegação com a nomeação e o chapéu cardinalício. Sem interromper o trabalho, não por menosprezo ao cargo, mas por importância ao trabalho que estava fazendo, disse aos emissários: “Dependurem por aí esse chapéu, porque agora estou com as mãos ocupadas”. São Boaventura recebeu de Gregório X o encargo de preparar o Concílio de Lião que aconteceu em 1274. Morreu neste ano, no dia 15 de julho. Seu enterro foi soleníssimo, com a participação do Papa e dos padres conciliares. Foi canonizado em 1428 e em 1587 foi declarado Doutor da Igreja.

Não é fácil construir a unidade e a paz num mundo onde a soberba a prepotência impedem que as pessoas se sentem em pé de igualdade ao redor de uma mesma mesa, onde é gritante a agressão aos direitos humanos e o desrespeito às minorias. Hoje São Boaventura, nos lembra que o caminho da unidade e da paz passa definitivamente pela conversão das consciências. Saber quem somos, refazer portanto nossa unidade interior, superar nosso individualismo, revisar nossos interesses para adequá-los à proposta do Evangelho e aos interesses do Reino de Deus, é o começo do caminho para a unidade e a paz.

 

>> Outro Santo do Dia