Santo do Dia 28 de Janeiro – Santo Tomás de Aquino

Santo do Dia 28 de Janeiro - Santo Tomas de Aquino

Santo Tomás de Aquino

Santo Tomás de Aquino nasceu em 1225, na Itália, de família nobre, filho caçula de uma família de 12 irmãos. Seu porte de atleta e sua natureza vigorosa combinavam bem com sua energia espiritual. Iniciou os estudos com os monges negros de Monte Cassino. Em 1239, com cerca de 15 anos, foi estudar na Universidade de Nápoles. Nessa ocasião travou o primeiro contato com a Ordem dos Dominicanos para a qual entrou em 1244, aos 19 anos, contrariando os planos da família. Em 1245 foi para Paris completar os estudos e em 1248 para Colônia, na Alemanha onde teve como mestre, Santo Alberto Magno. Ensinou filosofia e teologia em Paris e na Itália. Foi considerado o maior teólogo da Idade Média e é considerado um mestre de teólogos até os dias de hoje. Escreveu várias obras, sendo a mais importante delas, a “Suma Teológica”. Quando mergulhava nos estudos o fazia com tal afinco que seguidamente perdia a noção do tempo. Não estudava, contudo, para engrandecer-se. Queria aprender para compartilhar e transmitir aos outros o seu saber. Suas pregações eram ouvidas com a maior atenção e reverência. Era manso, amável e humilde. Respeitava todos e por todos era amado. Viveu os últimos anos de sua vida sem pregar nem escrever, para dedicar todo o tempo disponível à oração e à contemplação. Segundo um estudioso de sua vida e seu admirador, três qualidades se destacavam em Santo Tomás de Aquino: sabedoria, caridade e paz. Recebeu o título de Doutor Angélico, porque soube, como poucos, conciliar conhecimento intelectual com humildade e bondade de coração. Morreu aos 48 anos de idade, quando regressava do Concílio de Lião. Foi canonizado em 1323. Em 1567 foi declarado Doutor da Igreja; em 1879, padroeiro das universidades católicas e em 1923, padroeiro de todas as escolas católicas.

Para o mundo de hoje onde as pessoas com anel no dedo e diploma na mão se julgam superiores às demais, Santo Tomás de Aquino, um sábio, um estudioso que se comprazia em partilhar com os outros o seu saber, nos lembra que saber intelectual e bondade de coração não são coisas contraditórias. Com ele, aprendemos também que mais importante que uma inteligência aguçada é um aguçado amor a Deus e ao próximo. Anel e diploma podem até abrir as portas do mercado de trabalho e do sucesso e realizar o homem profissionalmente, mas sozinhos jamais darão uma resposta às exigências mais profundas da alma humana.

 

VIANNA, Zélia (2005). Santidade Ontem e Hoje. Salvador: Paróquia de São Pedro

 

>> Outro Santo do Dia