Santo do Dia 18 de Dezembro – Nossa Senhora do Ó

Santo do Dia 18 de Dezembro - Nossa Senhora do O

Nossa Senhora do Ó

Hoje a Igreja celebra a festa da Expectação de Nossa Senhora, conhecida entre o povo como festa de Nossa Senhora do Ó. É uma festa católica de origem claramente espanhola. A imagem de Nossa Senhora da Expectação ou do Ó, representa a Virgem Maria grávida, com um manto de pregas cobrindo a túnica, os cabelos longos caídos sobre os ombros e os braços cruzados sobre a cintura, como se estivesse à espera do parto próximo. Em algumas imagens a Virgem Maria tem as mãos postas sobre o peito, em atitude de oração. A festa de Nossa Senhora do Ó foi instituída no século VI pelo Décimo Concílio de Toledo. Entretanto foi Santo Ildefonso, bispo de Toledo, cidade da Espanha, quem pela primeira vez a celebrou, no dia 18 de dezembro, isto é, oito dias antes do Natal, com o nome de Festa da Expectação do Parto da Santíssima Virgem. Segundo alguns autores, o nome de Nossa Senhora do Ó tem sua origem no fato de a letra ‘o’, ser, por seu formato, símbolo da imortalidade e eternidade, e, portanto, de Deus, de quem Maria é mãe. Outros dizem que a festa provém das antífonas, que são versículos curtos cantados ou rezados pela Igreja. Nesse caso, antífonas em homenagem a Nossa Senhora, antes do Natal. Como essas antífonas repetem várias vezes a exclamação “Oh!” terminaram sendo chamadas pelo povo de “Antífonas do Ó”. Da Espanha, país onde a devoção começou, ela foi para Portugal onde o culto rapidamente se espalhou. No Brasil, parece ter sido Olinda, em Pernambuco, a mais antiga sede dessa devoção. Entre nós, aqui na Arquidiocese de Salvador, a devoção a Nossa Senhora do Ó tem sua sede principal na Paróquia de Nossa Senhora do Ó, em Paripe. Essa paróquia foi criada no ano 1608 e é uma das mais antigas da Arquidiocese.

Os sentimentos da Virgem Maria nos dias que antecederam o nascimento de Jesus em Belém, não foram sentimentos de tristeza, mas de alegria; não foram sentimentos de egoísmo, mas de partilha, pois o menino que ela esperava era realmente seu filho, carne de sua carne, mas em seu coração ela já o havia entregue para a salvação do mundo. Hoje, às vésperas do Natal de Jesus, com igual sentimento de alegria e partilha somos convidados a esperar aquele que vem para libertar, salvar, trazer alegria e paz ao mundo. Que a nossa oração seja de alegria e esperança: “Ó Emanuel… vinde salvar-nos, Senhor nosso Deus!

 

VIANNA, Zélia (2005). Santidade Ontem e Hoje. Salvador: Paróquia de São Pedro

 

>> Outro Santo do Dia