Santo do Dia 04 de Dezembro – Santa Bárbara

Santo do Dia 04 de Dezembro - Santa Barbara

Santa Bárbara

Santa Bárbara, uma das santas mais conhecidas no mundo e mais populares no Brasil, nasceu no Oriente e sofreu o martírio provavelmente em Antioquia, no fim do século III, princípio do século IV. Sua vida foi escrita nos idiomas grego, siríaco, armênio e latim. Segundo a lenda, ela era uma jovem belíssima. O pai, um pagão rico e ciumento chamado Diáscoro, encerrou-a numa torre para resguardá-la dos pretendentes que não lhe interessavam. A torre tinha duas janelas, mas para atender às exigências de Bárbara que queria três janelas para simbolizar as três pessoas da Santíssima Trindade, o pai mandou construir uma terceira. Certo dia, aproveitando-se de uma viagem do pai, ela recebeu o batismo. Ao regressar, o pai, enfurecido por ver que ela desprezava os deuses romanos, tentou matá-la. Bárbara fugiu e se escondeu, mas foi denunciada por um pastor. Foi então capturada e condenada a ser exibida nua por todo o país. Conta a lenda que Deus, em sua incomparável misericórdia se compadeceu dela e a cobriu com um suntuoso manto. Foi então levada à presença dos juízes e teve, entre seus mais ferrenhos acusadores, o próprio pai. Santa Bárbara sofreu os mais cruéis suplícios, mas nem os chicotes, nem as tiras de boi, nem as tochas de piche que queimavam seu corpo, nem os garfos de pedra que retalhavam sua carne, conseguiram fazer com que ela renegasse sua fé. Por fim, foi degolada pelo próprio pai que pediu para substituir o carrasco. A lenda diz ainda que, quando a espada cortou seu pescoço, um raio desceu do céu e matou o desumano Diáscoro, reduzindo-o a um monte de cinzas. Por causa desses fatos, ela é invocada contra os raios, nas tempestades. Ela é representada, tendo na mão a torre com três janelas onde viveu por muito tempo encarcerada. Santa Bárbara é a padroeira dos bombeiros.

No passado, Diáscoro, um pagão inconformado com a opção por Jesus Cristo feita por sua filha Bárbara, usou de todos os meios, inclusive de cruéis suplícios, para que ela renegasse sua fé. Hoje, em nosso mundo, talvez mais sutil em sua perseguição aos que professam a fé cristã, mas nem por isso menos implacável, Santa Bárbara nos lembra que não devemos ter receio de desagradar nem os que detêm nas mãos o poder temporal, nem as pessoas da própria família, quando se trata de viver a fé cristã e de se comprometer até as últimas conseqüências, com a mensagem do Evangelho.

 

VIANNA, Zélia (2005). Santidade Ontem e Hoje. Salvador: Paróquia de São Pedro

 

>> Outro Santo do Dia