Santo do Dia 05 de Abril – São Vicente Ferrer

Santo do Dia 05 de Abril - Sao Vicente Ferrer

São Vicente Ferrer

São Vicente Ferrer nasceu no ano 1350, em Valência, Espanha. Muito cedo entrou para a Ordem dos Dominicanos e em 1374 foi ordenado sacerdote. Era um profundo conhecedor da exegese bíblica e da língua hebraica. Foi professor, pregador e muito procurado como conselheiro. Viveu num tempo difícil para a Igreja, abalada pelo grande Cisma do Ocidente. De fato, nunca na história da Igreja tinha havido uma divisão de tão grandes proporções. Naquela época, séculos XIV e XV, havia dois Papas: Urbano VI que presidia a Igreja em Roma, e Benedito XII, em Avinhão. Os cristãos, atônitos, ficavam sem saber a quem obedecer. O cisma dividiu o mundo católico e provocou ódios, brigas e até guerras em torno desses dois Papas.  Em meio a essa enorme crise, São Vicente assumiu a missão de pregar a integridade do Evangelho e a unidade dos cristãos. Percorreu inúmeras aldeias e cidades da Espanha, França, Itália e Suíça, e é mesmo provável que tenha chegado à Bélgica, levando a quase todo o Ocidente a mensagem da palavra de Deus, procurando restabelecer a paz na Igreja. Profeta inflamado pregava nas catedrais e nas praças públicas onde às vezes mais de quinze mil pessoas se juntavam para escutá-lo. Era ouvido por padres, cardeais e pelo povo. Suas pregações inquietavam os ouvintes, tocavam o mais íntimo dos corações e operavam verdadeiras conversões. No início andava a pé, mas depois, tendo adoecido e ficado com um problema numa das pernas, um burrinho passou a lhe servir de meio de transporte. Dois anos antes de morrer, durante o Conclave reunido em Constança, teve o consolo de ver a Igreja novamente unida, com a eleição do Papa Martinho V. São Vicente Ferrer morreu em Vannes, na França no dia cinco de abril de 1419. Foi canonizado em 1455 pelo Papa Calisto III.

No mundo de hoje, pródigo em desavenças e guerras, algumas até em nome da religião, São Vicente Ferrer que assumiu, com todas as forças de sua vida, a missão de pregar a unidade da Igreja, nos ensina que nenhum esforço deve ser poupado, quando se trata de buscar soluções pacíficas para os conflitos e divergências. A união entre as pessoas e a paz entre os povos, assim como a busca, não da uniformidade, mas da unidade entre os cristãos, é missão de todos e de cada cristão em particular. Nenhum contra-testemunho pode ser maior e escandalizar mais o mundo que a desunião entre aqueles que se dizem seguidores de Jesus Cristo.

 

VIANNA, Zélia (2005). Santidade Ontem e Hoje. Salvador: Paróquia de São Pedro

 

>> Outro Santo do Dia