História

História Paróquia de São Pedro

A celebração do dia 29 de junho, em louvor aos apóstolos e mártires São Pedro e São Paulo – fundadores da Igreja primitiva -, é uma das festas universais da Igreja mais solenes e mais antigas, introduzida na liturgia no século III, muito antes da festa do Natal.

Na Bahia, a devoção a São Pedro também é antiga. Na primeira metade do século XVI, já existia uma primitiva capela sob a invocação de São Pedro, tendo sido construída por ordem do primeiro bispo do Brasil, D. Pero Fernandes Sardinha, em 1554, no local onde hoje se encontra o Forte de São Pedro, pertencente a particulares.

Antiga Matriz de São Pedro, demolida em 1913
Antiga Matriz de São Pedro, demolida em 1913

Em 1679, foi criada a “Freguezia de São Pedro” (antigo nome de Paróquia), pelo primeiro Arcebispo de Salvador, Dom Gaspar Barata de Mendonça. Havendo a necessidade de se construir uma Matriz para a Paróquia, em 1691, foi iniciada as negociações para que o rei de Portugal ajudasse. Em  dezembro de 1692, uma carta-régia ordenava que fosse cedido ao rei de Portugal, D. Pedro II, “o padroado e direito livre da Igreja” e se providenciasse a construção de uma nova igreja, a cargo da Fazenda Real, que serviria de matriz para recém-criada “Freguezia de São Pedro”.

A Igreja Matriz foi construída próxima ao Mosteiro de São Bento, no largo que passou a se chamar de São Pedro, (Calçadão do Relógio de São Pedro). Segundo a tradição, uma pequena imagem foi levada para a matriz até que foi substituída pela atual, no final do século XVIII (1785). A antiga capela no Campo Grande de São Pedro foi demolida em 1723.

Igreja Matriz de São Pedro no meado do século XX
Igreja Matriz de São Pedro no meado do século XX

No início, a Paróquia era chamada de São Pedro Velho Extramuros, por ficar fora dos muros da cidade. No Início do século XIX, já era bastante habitada – por senhores de engenho que possuíam casa na capital, profissionais liberais e funcionários públicos. Na metade do século XIX, São Pedro deixa de ser um bairro estritamente residencial, dando lugar também a um florescente e próspero comércio.

Em 1912, o governador José Joaquim Seabra desapropriou a igreja para, em seu lugar, construir a Praça Barão do Rio Branco e abrir a Avenida Sete de Setembro.

Sob protestos dos paroquianos e devotos, a igreja começou a ser demolida em maio de 1913. A construção do novo templo começou em junho de 1916, num terreno situado na esquina da Praça da Piedade com a Avenida Sete, com inauguração em 2 de dezembro de 1917.

Atualmente, a Paróquia de São Pedro abrange os bairros e localidades: Dois de Julho, Lapa, Barris, Politeama, Barroquinha (em parte), São Bento, São Pedro, Piedade, Rua Carlos Gomes, Av. Sete de Setembro, da Praça Castro Alves até o Largo da Aclamação no Campo Grande.

Possui 4 igrejas sob a responsabilidade da Paróquia:
Igreja Matriz de São Pedro; Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa; Igreja Nossa Senhora do Rosário; e Igreja Senhor Bom Jesus dos Aflitos.
Leia a pesquisa completa, por Getúlio Tanajura Machado – 1995