Ministério da Liturgia

“A seguir Jesus tomou um pão, agradeceu a Deus, o partiu e distribuiu a eles, dizendo: “Isto é o meu corpo, que é dado por vocês. Façam isso em memória de mim”. (Lc 22,19)

Liturgia é antes de tudo “serviço ao povo”. O Ministério da Liturgia é essencial na vida comunitária. Essa experiência é fruto de uma vivência fraterna, tornando sempre presente e atual o mistério pascal de Cristo na Igreja, através dos sacramentos, especialmente a Eucaristia. Em todos os tempos, as religiões têm seus ritos próprios. Na religião católica, os rituais se originam e se baseiam no seu momento fundante: a Ressurreição do Senhor.

Através da Liturgia, o cristão é inserido nas realidades da sua salvação. Na nossa Paróquia, o Ministério da Liturgia tem uma coordenação geral e coordenadores de equipes que atuam nas diversas comunidades sob a responsabilidade da Paróquia:

  • Igreja Matriz de São Pedro
  • Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa
  • Igreja Nossa Senhora do Rosário
  • Igreja Senhor Bom Jesus dos Aflitos

O Ministério está aberto à participação de todos os membros da comunidade paroquial, que desejarem engajar-se em uma de suas equipes, e está estruturado na seguinte forma:

 

ACOLHIMENTO
“Acolham-se uns aos outros, como Cristo acolheu vocês, para glória de Deus”. (Rm 15,7)

O acolhimento é responsabilidade de todos os membros da comunidade, mas torna-se necessária uma equipe que oriente e ajude a assembleia, desde o momento da sua chegada até a despedida da celebração.

O acolhimento funciona com três equipes:

  1. RECEPÇÃO

“Assim, se você me considera como irmão na fé, receba Onésimo como se fosse eu mesmo”. (Fm 1, 17)

A recepção é responsabilidade de todos os membros da comunidade, mas cabe especialmente a equipe, apresentar o primeiro acolhimento e deixar o irmão a vontade para participar das celebrações ou encaminhá-lo para ser atendido no seu objetivo.

  1. ATENDIMENTO

O objetivo: Atender o irmão com prestimosidade, procurando responder a sua busca, para tanto a equipe está bem informada de toda a programação e atividades da paróquia para melhor encaminhar o irmão para o completo atendimento daquilo que veio em busca.

  1. ESCUTA

“Oxalá houvesse alguém para me escutar! Esta é a minha última palavra. Que o Todo-poderoso me responda. Que o meu adversário escreva a acusação. Eu a levarei sobre os meus ombros e a usarei como se fosse coroa. Eu lhe prestaria contas de todos os meus passos e me apresentaria a ele como um príncipe”. (Jó 31,35-37)

O objetivo da Equipe da Escuta é ouvir – sobretudo com os ouvidos do coração – o irmão que sofre, acolher a presença do Espírito Santo, pedir a proteção da Virgem Maria e apresentar Jesus como o único capaz de amenizar sua dor e sofrimento. Cabe ao bom “escutador” a missão de escutar com interesse, mas também caminhar com o irmão, rezar com ele e por ele, orientá-lo, encaminhá-lo a uma vida de oração e de compromisso com a sua paróquia ou comunidade, respeitando sempre, a opção e opinião de cada um.

A leitura orante da Palavra de Deus, é essencial a esse serviço fraterno.

A Equipe de Escuta é formada por membros leigos de nossa paróquia, que se colocam a serviço dos irmãos, às terças-feiras na Igreja Nossa Senhora da Conceição da Lapa.

 

LEITORES
“Mas Jesus respondeu: ‘A Escritura diz: Nem só de pão vive o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus’”. (Mt 4,4)

Os Leitores são aqueles que proclamam a Palavra, dirigindo-se ao primeiro elemento litúrgico que são as pessoas. Devem estar compenetrados de que estão proclamando a Palavra de Deus, que ilumina nosso caminho, alimenta nossa vida e nos convoca para celebrar o mistério pascal.

 

SALMISTAS
“Agradeçam a Deus, o Senhor, anunciem a sua grandeza e contem às nações as coisas que ele fez. Cantem a Deus, cantem louvores a Ele, falem dos seus atos maravilhosos”. (Sl 105,1-2)

O Salmo, porque também é Palavra de Deus, obedece ao mesmo critério que é dado às demais leituras, razão porque não se pode substituí-lo por um canto de meditação.

Considerada a importância do salmo, não podemos deixar de destacar a importância do salmista, aquele que dá vida ao salmo durante a celebração.

O lugar do salmista é na Mesa da Palavra (Ambão).

 

COMENTARISTA

O comentário não é parte essencial da liturgia, pois pressupõe-se que a comunidade entenda o que celebra e saiba os momentos que constituem o ato litúrgico e a parte que lhe cabe.

A função do comentarista é introduzir a assembleia no mistério pascal, desde o acolhimento até a despedida.

 

CANTO
“Que a mensagem de Cristo, com toda sua riqueza, viva no coração de vocês! Ensinem e instruam uns aos outros com toda sabedoria. Cantem salmos, hinos e canções espirituais; louvem a Deus, com gratidão no coração”. (Cl 3,16)

A Equipe de Canto tem como função animar as celebrações litúrgicas, através de cantos que são ritos ou que acompanham os ritos, devendo estes serem adequados ao momento e ao tempo litúrgico.

 

COROINHA
“Ninguém te despreze por seres jovens. Ao contrário, torna-te modelo para os fiéis, no modo de falar e de viver, na caridade, na fé, na castidade”. (I Tim 4,12).

Coroinha é o jovem que auxilia nas funções litúrgicas no altar e nas paraliturgias.

 

MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA COMUNHÃO EUCARÍSTICA (M.E.C.E.)
“E se o servo tiver feito tudo o que lhe ordenara, porventura fica-lhe o Senhor devendo alguma obrigação? Assim também vós, depois de terdes feito tudo o que vos foi ordenado, dizei; Somos servos como quaisquer outros: fizemos o que devíamos fazer”. (Lc 17, 9-10)

Ser ministro é ser enviando pela Igreja em nome de Cristo, para estar à disposição da comunidade, servindo-a com fidelidade, a partir da missão recebida com o envio.  A função principal é levar a Eucaristia, especialmente aos enfermos, idosos e impedidos de participarem da celebração no seio da comunidade; e quando necessário, ajudará o padre (Ministro Ordinário) nas missas.

 

>> Voltar para Ministérios da Paróquia de São Pedro
>> Veja a Organização da Paróquia de São Pedro