Nossa Senhora do Carmo e a Promessa do Escapulário

2017-07--18---Nossa-Senhora-do-Carmo

 

Os tópicos abaixo foram apresentados no momento de formação do Escola de Maria que acontece todos os sábados, na Igreja da Lapa, sempre as 09h00 às 11h00.

 

São Simão Stock

  • Sua mãe o consagrou antes de nascer
  • Antes de amamentar, a mãe o oferecia à Virgem Maria rezando uma Ave Maria de joelhos
  • Se a mãe esquecesse de rezar, Simão rejeitava ser amamentado
  • Quando São Simão chorava, bastava que a mãe o mostrasse uma imagem de Nossa Senhora para que ele se acalmasse
  • Aprendeu a ler muito cedo e desde pequeno rezava o Pequeno Ofício de Nossa Senhora e o Saltério, mesmo sem conhecer o latim
  • Com 7 anos consagrou sua virgindade à Maria
  • Com 12 anos refugiou-se numa floresta onde permaneceu por 20 anos
  • Maria disse para ele ir ao Monte Carmelo
  • Pelas virtudes, chegou a altos níveis na Ordem do Carmo
  • Sofreu perseguições e ameaças de extinção (não reconhecimento) da Ordem
  • O Papa suprimiu a ordem e voltou atrás após uma aparição da Virgem Maria
  • As perseguições e crises no Carmelo continuaram e São Simão insistia de forma perseverante em oração, solicitando proteção da Santíssima Virgem

“Flor do Carmelo, vinde florífera, Esplendor do Céu, Virgem incomparável singular! Ó Mãe amável e sempre virgem, dai aos Carmelitas privilégios de vossa proteção, Estrela do Mar!” (Flos Carmeli)

  • Nossa Senhora aparece para São Simão Stock e entrega o hábito carmelita (escapulário)

“Recebe, diletíssimo filho, este Escapulário de tua Ordem como sinal distintivo e a marca do privilégio que eu obtive para ti e para todos os filhos do Carmelo; é um sinal de salvação, uma salvaguarda nos perigos, aliança de paz e de uma proteção sempiterna. Quem morrer revestido com ele será preservado do fogo eterno”

  • Desde então a Ordem se multiplicou chegando a ter mais de 7.500 mosteiros e 120 mil religiosos ainda no século 13.
  • Em seu túmulo saíam raios de luz e delicada fragrância.

 

A Grande Promessa

  • No dia 16 de julho de 1251 a Santíssima Virgem apareceu com Jesus no colo em socorro a Simão.

“Ele é, pois, um sinal de salvação, seguro nos perigos; aliança de paz e de pacto sempiterno”.

  • “Especialmente hoje, quando o poder de Satanás ameaça sacudir os próprios alicerces do mundo, precisamos ter um conhecimento racional das nossas devoções e, sobretudo, das que se relacionam com Aquela que esmaga a cabeça da serpente infernal” (Um Piedoso Autor do final do século 19)
  • “Temos a certeza de que todos aqueles que, ao morrer, têm a felicidade de usa o Escapulário, obtêm graça perante Deus e são preservados do fogo do inferno, porque acreditamos que, para manter a Sua promessa, Maria retira para eles, dos tesouros divinos de que é depositária, as graças necessárias para a sua perseverança no estado de justiça, ou para a sua conversão. E, assim fortificados e reconciliados com Deus pelos Sacramentos ou pela contrição perfeita, e morrendo com este santo hábito, os associados do Escapulário não caem sob os golpes de uma justiça inexorável” (Outro Douto Autor da mesma época)

 

O Sentido Autêntico da Promessa

  • Não pode ser a de que uma pessoa que morra em pecado mortal já esteja salva. Trata-se de uma proteção para NÃO COMETER um pecado mortal ou NÃO MORRER em pecado mortal.
  • Quem morre portando o escapulário ou receberá de Nossa Senhora a graça da perseverança no estado de justiça ou a conversão e perseverança final.

 

Privilégio Sabatino

  • Saída do purgatório no primeiro sábado após a morte (Revelação feita ao Papa João 22 no século 14)
  • Papa Paulo V diz, no século 17: “É permitido pregar… que, após a morte, a Santíssima Virgem socorrerá, com a Sua contínua intercessão, com os Seus sufrágios e méritos e com a Sua especial proteção, sobretudo no sábado, dia particularmente consagrado pela Igreja à mesma Santíssima Virgem Maria, as almas dos Irmãos e Irmãs da Confraria da Santíssima Virgem Maria do Monte Carmelo que, durante a vida, tiverem usado o hábito (escapulário), guardado a castidade segundo o estado e recitado o Ofício Menor (ou a oração indicada pelo sacerdote que o impôs)… ou, não sabendo recitar o Ofício, tiverem observado os jejuns da Igreja e guardado a abstinência de carne nas quartas-feiras e sábados (a menos que qualquer destes dias coincidam com a festa do Natal)”

 

Em Resumo

  1. Grande Promessa: aquele que morrer portando o escapulário não padecera no fogo eterno.
  2. Privilégio Sabatino: ser liberto do purgatório no primeiro sábado seguinte à morte

 

Para Gozar de Tais Privilégios é Necessário:

  • Ter-se recebido devidamente o escapulário, isto é, imposto por um sacerdote com poder para tal (atualmente qualquer sacerdote com o uso legítimo de ordens tem esse poder).
  • Que o escapulário seja como prescreve a Igreja, isto é, feito de dois pedaços de lã (e não de outro material) ligados entre si por fios, e da forma (quadrangular ou retangular) e cor requeridas (marrom, café ou negro).
  • Que uma de suas partes caia sobre o peito e a outra sobre as costas.
  • Que se observe a castidade segundo o estado (perfeita para os solteiros e matrimonial para os casados).
  • Que reze as orações prescritas pelo sacerdote que o impôs.

 

Alguns Acréscimos

  • Quem usa participa, além das promessas e indulgências, das boas obras em toda Ordem do Carmo (Comunhão)
  • O Escapulário pode ser imposto em crianças que ainda não chegaram ao uso da razão. Além disso, mesmo que venha a deixar de usar, qualquer pessoa pode colocar o escapulário na pessoa para que esta goze dos privilégios
  • Pode ser imposto em pecadores moribundos
  • Uma vez usado escapulário de lã, mesmo que a pessoa tenha abandonado o uso por muito tempo, para voltar a usar basta colocá-lo, sem a necessidade de benzer novamente.

 

Alguns Santos que Usaram e/ou Propagaram a Devoção

  • São João da Cruz e Santa Teresa D’Ávila
  • Santo Afonso (escapulário incorrupto, hoje exposto para veneração em sua terra natal, em Marianella)
  • São João Bosco (escapulário encontrado incorrupto em cima das vestes apodrecidas e do corpo em decomposição)
  • São Boaventura: “Desafoguem o peito diante da Virgem do Carmo os pecadores mais empedernidos: revistam-se com o seu santo Escapulário e Ela os conduzirá ao porto da conversão. Honrem-na com o uso do Escapulário e demais obrigações ou obséquios da Confraria, e Ela lhes alcançará de seu divino Filho a salvação e a paz”.

 

Milagres e Proteção

  • Conversões Milagrosas
  • Incêndios Apagados
  • Proteção aos Suicidas
  • Proteção em Guerras
  • Salvação em Afogamentos

 

Por Fim…

“Usar o Escapulário só é uma prática mariana na medida em que piedosamente o fazemos. O estado resultante de andarmos ordinariamente com o Escapulário, isto é, o seu uso passivo, é um ato de piedade cuja perseverança será, finalmente, recompensada com a vitória. Mas não é estado no qual Satanás nos não possa vencer com frequência. O uso ativo do Escapulário é um estado em que, nos momentos de tentação, pensamos fervorosamente na nossa filiação mariana e, ao primeiro assomo do inimigo, fugimos instintivamente para Nossa Senhora. Nesse estado, não se cai em pecado; o Inferno é absolutamente impotente quando aquele que usa o Escapulário, além de praticar a devoção silenciosa, enfrenta a tentação com uma invocação à Mãe de Deus. Ninguém que chame por Maria é por ela abandonado” (Pe Lejeune).

 

Santo Afonso:

“Exemplo, entretanto, não devem servir para autorizar a temeridade dos que vivem em pecado, confiados de que Maria os haja de livrar do Inferno ainda que morram impenitentes. Rematada loucura seria, certamente, lançar-se alguém para dentro de um poço, na esperança de ver-se livre da morte porque Maria, em caso semelhante, já preservou a vida de outro. Muito maior loucura seria, entretanto, arriscar-se alguém a morrer no pecado, presumindo que a Santíssima Virgem o preservará do Inferno”.

 

Oração de São João Damasceno

“Ó Mãe de Deus, se em vós puser minha confiança, serei salvo. Se estiver sob a vossa proteção, nada tenho a recear, porque a devoção para convosco é uma segura arma de salvação, por Deus concedida só aos que deseja salvar”.

 

 

 

 

 

 

Nossa Senhora do Carmo e a Promessa do Escapulário

Deixe uma resposta