“As Minhas Palavras Não Passarão”

2018-09-12---Blog---Mens-Pe-Aderbal
A Bíblia é de inspiração divina, mas há passagens que parecem mais divinamente inspiradas. O título desta matéria – Mt 24,35 – é um desses versículos. São palavras fortes, promessa que sustenta nossa fragilidade em momentos de escuridão espiritual. Para os dias que vivemos, elas valem como um barco à vista para um náufrago perdido. Será que o evangelista Mateus imaginou o que elas representariam como segurança para alguém amedrontado em densas florestas?

E de quem são essas palavras cheias de verdade, capazes de resolver qualquer dificuldade: são do Senhor Jesus, o Filho de Deus que proclamou: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida” (Jo 14,6). Diante dessa confissão não há mais questionamento. Com testemunhos concretos, Ele nos apresentou a trajetória, propôs seus princípios e se fez nosso alimento. Os evangelhos são compêndios de ensinamentos e de projetos com o mesmo objetivo: construir o Reino que Ele veio anunciar. Mas é possível edificar-se o Reino de Deus aqui na terra? Claro que sim, é aqui que são lançadas suas sementes, ampliadas suas fronteiras e manifestado o seu amor. Somos nós cristãos que o construímos, inspirados no que Ele nos disse e orientados por suas propostas.

Entretanto, só realizaremos tão magnífica missão se formos alfabetizados pela sua cartilha, porque, se ela não estiver viva em nós, encarnada em nossas opções e atividades, o Reino não acontecerá. E é necessário não somente conhecer a Palavra, mas rezar a Palavra, fazer dela o instrumento da nossa conversa com Jesus, celebrá-la em comunidade para que ela seja um agente transformador da nossa vida e do mundo.

Nosso tempo é qualificado como a era da comunicação. Dispomos dos maiores e mais variados meios para que a Palavra criadora, redentora e santificadora permaneça em nosso meio, chegue até os confins da terra e seja capaz de instaurar um novo mundo. Tudo isso, porém, exige que estejamos sempre em contato com ela, numa convivência íntima de diálogo-oração. Escutando o Verbo de Deus, contextualizando-o conforme os sinais do tempo, poderemos ser o seu eco e encarná-lo em qualquer lugar onde nos encontremos. É essa Palavra miraculosa que entra na história de cada dia, traz a iluminação necessária a cada hora para que a Criação continue evoluindo e convergindo para o Cristo Jesus. Ela vem de Deus e retorna para Ele, origem e ponto final.

Paroquianas, paroquianos e leitores do Folha de São Pedro, neste Mês da Bíblia, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) nos propõe o estudo do Livro da Sabedoria, capítulos de 1 a 6, com o tema: “Para que n’Ele nossos povos tenham vida” e com o lema: “A sabedoria é um espírito amigo do ser humano” (Sb 1,6). Não deixemos passar inutilmente as graças do Mês da Bíblia, que foi criado para nossa santificação. Ele se repete a cada ano porque é constante a caminhada que nos leva do homem velho ao homem novo, imagem e semelhança de Deus. Que elas sejam abundantes para todos vocês.

Um abraço do pároco e irmão

“As Minhas Palavras Não Passarão”

Deixe uma resposta