A Terra Necessita de Santos

2019-11-02---Blog---Mens-Pe-Aderbal-capa

 

Conforme as notícias diárias transmitidas pela mídia, o mundo não vai bem. E, dentro dele, o nosso Brasil apresenta males preocupantes. Dois deles já são pandemia: a corrupção e a violência. A operação Lava-Jato identifica mais focos a cada dia, e as terapias usadas não conseguem debelar a doença. A descoberta de pessoas ou instituições que, com a maior cara limpa, detonam as bombas da corrupção cresce tanto nas metrópoles quanto nas cidades interioranas. Paralela à corrupção, a violência faz suas vítimas, encharcando de sangue tantos espaços do Brasil. Cada dia mais cruel e desumana, a violência não poupa ninguém, matando, mutilando e inutilizando tantos brasileiros. A cada instante observamos os que nos cercam, vendo em cada pessoa um possível marginal que pode roubar nossa bolsa, como acabar com a nossa vida.

Apesar das medidas policiais, parecem inúteis as providências tomadas pelos responsáveis pela tranquilidade e segurança dos cidadãos. Análises são procedidas, estatísticas são apresentadas, e os meliantes se aperfeiçoam nas práticas criminosas. Vivemos cercados de feras que não escolhem mais horas para os seus ataques. A atmosfera social é de desencanto e depressão. Parece que a paz fugiu para outro planeta e nos deixou entregues à sanha de animais ferozes. Mas será que estamos esquecidos da existência de cristãos nos vários espaços sociais? Não são eles a presença da esperança no mundo?

Imploramos muito as bênçãos e a proteção dos santos. Por que não apostamos na santidade dos seguidores de Jesus? Nem todos os cidadãos têm possibilidade de agir diretamente na sociedade, de fazer leis e implantar programas de correção, mas todo cristão deve valer como fermento que leveda a massa e luz que clareia a caminhada da humanidade. Todos os que são comprometidos pelo batismo com os valores evangélicos não podem ser indiferentes diante dos perigos que ameaçam as pessoas. E a primeira luta pelo bem a ser assumida é a sua santificação. Quanto mais santos formos, mais possibilidades teremos de transformar o mundo.

Recebemos gratuitamente a vida e a fé. Foi um capital que Deus investiu em nós, mas Ele conta com os dividendos do seu investimento. E cobrará de nós o talento enterrado. Somos mestres para identificar com lucidez os erros, os errados e tudo que parece desviar o mundo da maquete divina. Será que, com o mesmo discernimento, reconhecemos nossas omissões? Pecar não é somente praticar o mal; é também não fazer o bem; é fugir da responsabilidade e não cumprir sua missão. Que o poder e o testemunho dos santos que estão na eternidade nos ajudem a vencer a nossa fraqueza e colaborarmos na santificação dos irmãos.

Abençoo todos vocês, amigos do Folha de São Pedro, e peço ao nosso padroeiro São Pedro que os inspire no caminho da santidade. Um abraço fraternal do amigo.

 

Padre Aderbal Galvão de Sousa

 

 

 

A Terra Necessita de Santos

Deixe uma resposta